quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Nova empresa, novos hábitos


Nem todos os profissionais de mercado estão preparados para migrar de área se adaptando a uma nova realidade. Sair de um segmento x para atuar em um segmento y exige esforço, adaptabilidade, dedicação, humildade e estudo.

Diversos profissionais - por uma nova oportunidade de emprego e/ou negócio, ascensão profissional, ascensão social ou desafios de carreira - se lançam em áreas desconhecidas sem o devido preparo para a nova função. Claro que em todo novo emprego e/ou atividade o período de adaptação deve ser respeitado para que o trabalhador reconheça a realidade do local e interaja de acordo com sua função.

Acredito que um problema está no profissional que migra de atividade (ou segmento empresarial) mas “carrega” consigo os hábitos e perfil do trabalho anterior. Ele parece não se adequar à cultura da nova empresa e mantêm no seu discurso e postura características entranhadas enquanto exercia a função anterior. Existem situações em que esses hábitos podem ser encaixados e passarem despercebidos, mas em diversos momentos eles gritam e destoam da nova realidade.

Uma boa alternativa para quem vai mudar de área (ou até de emprego) é ser humilde, conhecer a cultura organizacional, estudar sua personalidade e interagir com seus públicos. A imagem de um profissional que conhece “sua empresa” transmite respeitabilidade, confiabilidade e credibilidade para toda equipe, além de garantir que sua atuação não esteja marcada por intransigências, “tiros no pé” e antipatias.


"Carreiras de sucesso não são planejadas, mas são carreiras de pessoas que aproveitam as oportunidades porque conhecem suas forças e os seus valores e estão preparadas". Peter Drucker


Tchau Tchau

3 comentários:

  1. Estou recomendando esse seu texto no meu blog... considero a flexibilidade um grande desafio para os novos profissionais em formação.

    ResponderExcluir
  2. Obrigadão Jefferson, principalmente em postos mais gerenciais percebo a falha na adequação a cultura local.

    Abração!

    ResponderExcluir

Assim nós construimos o diálogo! Obrigado...